quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Um unboxing diferente do Nike HyperAdapt 1.0


Na semana passada, postamos uma matéria muito interessante sobre toda a história da criação do Nike HyperAdapt. Agora é hora de ver o unboxing, só que de uma forma, digamos, um pouco diferente.

Pra quem não conhece, o canal What's Inside é famoso por mostrar como as coisas funcionam, eles abrem os produtos/ítens no meio para mostrar os mecanismos. Por isso, se você está maluco por um nike desse, assista com moderação, porque o tênis é destruído durante o vídeo. 

Robô insipirado em Back to the Future



Quem se lembra do pequeno robô/lata de lixo em Back to the Future 2 que ia até o usuário? Ele está servindo de inspiração para um robô de verdade. 

O pequeno robô lata de lixo, chamado Barryl reage a um sinal e move-se até o usuário. Esta inovação está sendo desenvolvida pela start-up Immersive Robotics e será testada entre os dias 5 e 10 dezembro em uma estação de trem em Lyon, Paris. Aproveitando seu lado lúdico,  com este robô a empresa espera atrair a atenção do viajantes sobre a questão da limpeza.


Veja o vídeo:

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Comercial da Verizon com o Delorean


A operadora de telefonia móvel gringa Verizon lançou um comercial bem legal, uma paródia da música "Thrift Shop (feat. Wanz)", da dupla MACKLEMORE e RYAN LEWIS, e assim como no clipe original da música, também há um Delorean no comercial da Verizon.

Assista o comercial:


Assista o clipe:

sábado, 3 de dezembro de 2016

Você sabia? Conheça história completa por trás do desenvolvimento do Nike de De volta para o Futuro

Um ano depois de ter trabalhado na "Kitchen Innovation da Nike", onde os designers da empresa imaginam o futuro, Tiffany Beers recebeu uma tarefa: descobrir como fazer um protótipo real do tênis criado para Michael J. Fox em "De volta para o Futuro II". 

Nike Mag - sonho de consumo  de toda uma geração

O projeto na época parecia um pouco fora de mão

O designer líder da Nike, Tinker Hatfield, havia inventado o sapato, que incluía um sistema de cadarços automáticos e luzes, para o filme de 1988 e até tinha apresentado uma patente de projeto que cobria a estrutura. Mas por que gastar tempo realmente produzindo o sapato futurista que poderia não ter aplicações práticas para o futuro negócio da Nike?

"Todo o processo de criação do protótipo funcional foi muito parecido com o processo do prop do filme em si", lembrou Hatfield. "Poderíamos ter feito muito menos com ele, mas sonhamos o máximo que pudemos, neste caso, eu sabia que queríamos trabalhar um pouco e que não seríamos capazes de executá-lo a menos que tivéssemos um protótipo de funcional."

Na última quinta-feira, cerca de 11 anos após Tiffany Beers receber inicialmente a atribuição, os primeiros nikes com cadarços automáticos chegaram ao mercado. Inicialmente, o HyperAdapt 1.0 foi concedido através de uma loteria aleatória, com os vencedores selecionados a partir de uma lista dos que se inscreveram através do aplicativo da Nike. As quantidades não estão sendo divulgadas, mas a companhia não deve ter qualquer problema em liquidar completamente o estoque a um custo de US $ 720 por par. Esse está sendo chamado de "o projeto o mais ambicioso na história da indústria de calçados".

Hatfield é o designer lendário da Nike. Todos os grandes colecionadores de tênis, os chamados "Sneakerheads" o conhecem como o cara que assumiu a franquia Jordan no terceiro ano e recebe muito do crédito - fora do próprio Michael Jordan - por transformar a marca em um império de US $ 3 bilhões. Quando Hatfield projetou o nike futurista para "Back to the Future Part II", o modelo de trabalho não estava realmente funcionando. Para ligar as luzes do calçado, Michael J. Fox estava usando uma enorme bateria. Os cadarços também eram efeitos do cinema, buracos foram feitos no chão e pessoas puxavam fios para dar a impressão do fechamento automático.

Com o passar do tempo, Hatfield sempre era questionado sobre duas coisas: Michael Jordan, ou aqueles sapatos que Marty McFly usava. À medida que a Internet proliferava, o ruído aumentava. Os fãs do filme e começaram a adicionar seus nomes às petições. "Quando eu vi 30.000 nomes nessas petições, eu só sabia que tínhamos que imaginar uma maneira de realmente fazer este tênis um dia", disse Hatfield.

Nike Mag

Então, ele deu a atribuição a Tiffany Beers, de 25 anos, engenheira de plásticos que recentemente viera da Rubbermaid, onde ela foi encarregada de repensar coisas tipicamente feitas de metal e construí-las em plástico. Durante três anos, Beers passou metade do seu tempo construindo o tênis real apelidado de Nike MAG. Em 2007, ela tinha um protótipo funcional com luzes, mas tinha que ser constantemente ligado à rede elétrica para o trabalho. "E então esbarramos na falta de tecnologia e paramos", disse Beers. "Tínhamos que esperar se quiséssemos fazer um tênis com cadarços automáticos realmente funcionais". Alguns anos mais tarde, Beers pegou o projeto novamente para entregar o que as massas queriam: Um produto "Back to the Future" que as pessoas pudessem tocar e usar.

Em 2011, o Nike MAG - com luzes, mas não cadarços automáticos - foi lançado. A Nike leiloou 1.500 pares a um preço médio de US $ 3.797 por par, com todos os rendimentos revertidos para a Fundação Michael J. Fox para arrecadar dinheiro para a pesquisa da doença de Parkinson.

Poderia ter tudo terminado lá. Mas felizmente isso não aconteceu.

Leilão feito em 2011 para arrecadar fundos para a Michael J Fox Foundation

Os tênis tomam forma - literalmente

"Nós estávamos deixando o evento de lançamento e Mark Parker, CEO da Nike diz para mim," - Isso foi ótimo. Quanto tempo vai demorar para fazer com cadarços automáticos? "Beers lembrou. Neste ponto, Parker não estava falando apenas sobre o MAG, ele estava falando sobre a construção de um verdadeiro tênis que se amarrasse sozinho que poderia ser usado todos os dias - assim como todos os outros calçados da empresa.

No sétimo ano, a natureza prática do projeto começou a tomar forma. Ela entendeu que agora estava sendo convidada a colocar cadarços automáticos em algo além de um suporte para o cinema. O novo modelo poderia avançar e se tornar uma grande inovação para o desempenho da marca.

Os sistemas de amarração não evoluíram muito nos últimos séculos. A Puma é creditada com ser a primeira empresa a colocar Velcro em sapatos em 1968. Novamente a Puma inovou em 1991, quando tirou os laços no lugar colocou um disco que era girado para fechar o calçado. A Reebok, obviamente, tinha o Reebok Pump, que estreou em 1989, mas o enchimento das bexigas de ar ao redor do pé não substituiu o cadarço.

Sistemas inovadores da década de 90

A engenharia da Nike então percebeu que precisava abrir novos caminhos na indústria com um sistema inovador. Tinha que haver um sensor que reconhecesse quando o pé estava no calçado e onde o pé estava em relação aos cadarços, de modo que o ajuste seria certo quando o tênis estivesse amarrado. Também tinha de haver um motor para que os laços se apertassem e se soltassem.

Havia uma montanha de problemas para resolver - um deles envolvia onde colocar o motor. Beers disse que foi confortada pelo desenvolvimento de uma placa, construída pelos designers do Jordan XX8, que criou um espaço perfeito entre a sola do pé e a  sola do sapato. Nesse espaço, a bateria pode ser colocada debaixo do pé sem ferir a bateria ou comprometer o conforto do usuário, disse ela.

Com o passar do tempo, tornou-se evidente que a busca dos cadarços automáticos não estava acontecendo isoladamente. Não era apenas um projeto para amantes do cinema. "Enquanto estávamos tentando fazer este sapato futurista, começamos a ver aplicações práticas em outros lugares", disse Beers. "Nós usamos o exterior de espuma para um sapato Jordan. Nossa aprendizagem sobre as baterias nos permitiu construir botas de snowboard em 2013, e botas aquecidas que nós demos aos nossos atletas para os Jogos Olímpicos de Inverno em 2014 em Vancouver".

Botas Nike  aquecidas para Snowboarding

A conversa que Beers e Parker tiveram no carro em 2011 não foi pública. Isso tudo mudou em fevereiro de 2014, quando Hatfield revelou em um evento na Jordânia durante o All-Star Week-end da NBA que o tênis futurista chegaria ao mercado em 2015.

A alegria dos cinéfilos 

Beers estava surpresa. Nunca lhe foi dito que 2015 era a data limite, "Mark Parker disse para mim, 'arrisquei o seu pescoço nessa, adicionei mais urgência e você deve colocar mais pressão sobre a equipe". Com o segredo revelado, Beers estava agora livre para terceirizar o trabalho. Ela contratou o melhor engenheiro elétrico e mecânico que conseguiu encontrar. A investigação em motores específicos ficou mais séria.

E então parou de novo...

A empresa que fabricou o motor, não estava convencida de como a Nike o tinha montado. Embora funcionasse, não estava sendo usado de uma maneira que a companhia tinha imaginado. Embora receber o convite da Nike ser obviamente uma honra, a empresa precisava se proteger. Depois de algum tempo,já com alguma convicção e mudanças na montagem, a bênção foi dada. Em 21 de outubro de 2015 - a data futura para onde Marty McFly e Doc Brown viajara - um par funcional do Nike MAG foi dado a Michael J. Fox. No escritório da Nike, Fox, Hatfield e Tifanny Beers, compartilharam as imagens do esperado nike em suas redes sociais. "Eu nunca disse quantos nós íamos ter", brincou Hatfield. "-Nós fizemos pelo menos um."



Fãs de "De volta para o Futuro" tiveram que esperar cerca de mais um ano para conseguir o sonhado Nike MAG. A Nike realizou uma loteria, que gerou cerca de US $ 6,75 milhões em bilhetes comprados, quer dariam a chance de participar do sorteio.

A Nike não para por aí

O verdadeiro prêmio não eram os tênis MAG, mas sim um tênis comum, para o uso cotidiano com cadarços automáticos. Parker insinuou que isso estava chegando em outubro de 2015, no mesmo dia em que o vídeo da Fox atingiu as mídias sociais. "Começamos a criar algo para ficção e transformamos isso num fato, inventando uma nova tecnologia que beneficiará todos os atletas", disse Parker. "Você poderia deixar os cadarços mais apertados quando estivesse correndo ou apenas deixá-los mais frouxos quando estivesse apenas caminhando, isso podeira ajudar atletas - caras que amarram seu sapato apertado para começar um jogo, mas precisam de ajustes quando os pés incham durante o jogo".

Havia um novo foco na praticidade. Claro, o Nike MAG tinha sido implementado e era um tênis funcional, mas havia apenas 89 pares no mercado e ninguém usava todos os dias. Para um tênis ser usado diariamente, a vida da bateria tornou-se um foco maior, assim também como o som do motor. "O protótipo inicial que tínhamos com motores funcionando soava como um gato sendo atingido com uma motosserra", brincou Beers. "Ninguém quer ouvir isso todos os dias."

A maior preocupação era que o consumidor não queria ter o inconveniente de sempre carregar a bateria. Então, a Nike construiu uma que duraria uma semana se uma pessoa usasse todos os dias e a ajustasse constantemente. Com o uso normal, ele pode facilmente durar duas semanas com uma recarga.

Em março de 2016, a Nike anunciou o conceito, o HyperAdapt 1.0, com E.A.R.L., que significa Electro Adaptive Reactive Laces.

 Nike HyperAdapt 1.0

Preparando-se para o futuro

Logo após o anúncio, uma equipe foi ao Nike's Development Center em Taiwan para descobrir como construir os calçados passo a passo. Uma vez determinado, o processo foi transferido para o Vietnã, onde a produção realmente começou. O peso foi diminuído para cerca de 195 gramas cada pé, que é mais leve do que um tênis de basquete típico, mas algumas gramas mais pesado que um de tênis comuns. A bateria pesa apenas 28 gramas.

A Nike não fala abertamente sobre seus preços e margens, mas finalmente, o preço de US $ 720 foi acordado - uma quantia ultrajante, mas nada fora do comum para colecionadores sneakerheads e cinéfilos que frequentemente gastam esse montante em um par de sapatos no mercado de revenda.

Sabendo que está mudando de convenção, a Nike quer ter certeza de que tudo vai bem. Isso significa que pela primeira vez na história da empresa, a Nike está criando uma linha direta especial para os proprietários registrados do HyperAdapt 1.0 para chamar com perguntas a qualquer momento.

Na parte inferior do sapato, onde o indicador do carregador vai (muda de verde para amarelo para vermelho), é impresso "MT2", que significa Mark (Parker), Tinker e Tiffany. É uma ótima homenagem àqueles que trabalharam por tanto tempo neste projeto.

"MT2" significa Mark, Tinker e Tiffany. Iniciais dos desenvolvedores do projeto.

Para Hatfield, o maior tributo pode ser um legado mais duradouro. "Estou mais perto do fim da minha carreira do que no início, e quero sair com um estrondo", disse Hatfield, que começou na Nike em 1981 e começou a desenhar sapatos em 1985. "Eu acho que no futuro, os sapatos vão fazer o trabalho para você. Eles vão se adaptar aos seus pés, eles vão se ajustar, eles vão ter tecnologia inteligente - assim como os carros e aspiradores. 

Hatfield, prevê que em 10 anos, 50% de todos os calçados da Nike terão cadarços automáticos.

Via abcnews

Back To The Future e E.T. estão salvos de Remakes?

Os fãs se alegram! Dois dos filmes mais amados dos anos 80 aparentemente nunca receberão remake, reboot, sequência ou adaptação de televisão como está acontecendo com tantas outras amadas franquias ultimamente. O produtor Frank Marshall insistiu que, enquanto ele estiver vivo, nunca haverá uma reinicialização de Back To The Future.

Frank Marshall
Robert Zemeckis já tinha revelado que era impossível para a Universal Pictures refazer a franquia sem a aprovação do diretor e escritor Bob Gale, Gale também já concedeu entrevistas dizendo que era impossível, mas agora temos a notícia de que até mesmo o produtor Frank Marshall não vai deixar acontecer. "Não, nós não vamos reiniciar 'Back To The Future', dou a minha palavra. BTTF apenas existe como 'E.T.' - todos os amam da forma como são." 

Em 1981, junto com sua esposa, Kathleen Kennedy e Steven Spielberg, Frank Marshall co-fundou a Amblin Entertainment, uma das produtoras mais rentáveis. Como produtor, Marshal recebeu cinco nominações para o Oscar de melhor filme para o "O curioso caso de Benjamin Button" (2008), "Seabiscuit - Alma de Herói" (2003), "O sexto sentido" (1999), "A cor púrpura" (1985), e "Os caçadores da arca perdida" (1981).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...