segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Brasil testa carros do futuro movido a estrume! Great Scott

Ônibus verde da Scania abastecido tanto com GNV quanto com biometano.

Gás extraído de dejetos, biometano é 100% renovável e tem custo 56% menor que o do diesel

Como todos sabemos, em "De Volta para o Futuro parte 2" (1989), Doutor Brown abastece o DeLorean usado para viajar no tempo com lixo doméstico (casca de banana, cerveja e a lata em si...), por meio de um dispositivo instalado no próprio veículo, chamado de "Mister Fusion". Na trama, o cientista havia trazido o equipamento do futuro 2015 (que no caso, já hoje é passado) para converter dejetos em combustível.

Pois a ficção esta virando realidade em 2017. Tudo bem ainda não dá para colocar uma casca de banana no tanque e sair rodando, mas já existe tecnologia no Brasil para gerar combustível automotivo de gases de esgoto, do lixo, de restos de alimentos, resíduos da agricultura e até de titica de galinha.

Trata-se do biometano, versão refinada do biogás, que é extraído de matéria orgânica em decomposição por meio de equipamentos chamados de biodigestores. O biometano pode abastecer qualquer veículo com kit de GNV, que você já conhece. Mas, diferentemente do gás natural veicular, que tem origem fóssil como a gasolina e o diesel, o biometano é 100% renovável!

De acordo com o CIBiogás (Centro Internacional de Energias Renováveis/Biogás), o biometano pode reduzir em até 90% as emissões de poluentes na comparação com a gasolina. Seu uso previne ainda o lançamento de metano na atmosfera, um dos vilões do aquecimento global (o outro é o CO2).

Biodigestores extraem gás de esgoto, lixo, restos de alimentos, resíduos da agricultura e até de titica de galinha

O abastecimento do biometano em automóveis já tem uma regulamentação geral elaborada pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) desde fevereiro de 2015. Mesmo assim, ainda não é oferecido nos postos de combustível no país.

Por enquanto, apenas o biogás - utilizado para geração de energia térmica e elétrica - já é uma realidade, mas que também tem muito a crescer no Brasil.

Esse combustível sustentável já está em testes em indústrias e empresas e deve chegar ao mercado em breve. Enquanto isso, algumas empresas do Brasil já trabalham para produzir biometano e abastecer parte dos seus automóveis. Uma delas é a Sabesp (Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo), e outra, o complexo hidrelétrico Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR).

Em Franca (SP), Sabesp já tem 20 carros prontos para uso do biometano

A Sabesp será a primeira do país a produzir biometano exclusivamente a partir do lodo que resulta do tratamento de esgoto, na unidade de Franca, no interior paulista.

A produção começa em meados deste ano e conta com parceria do Instituto Fraunhofer, da Alemanha, que cedeu o equipamento necessário para converter o biogás resultante do esgoto em biometano. Essa tecnologia remove impurezas do biogás para aumentar a concentração do metano para acima de 96%, atendendo às especificações da ANP para uso veicular.

A estimativa é produzir todos os dias biometano suficiente para substituir 1,7 mil litros de gasolina e abastecer cerca de 50 automóveis adaptados com kits GNV - aproximadamente 20 desses veículos já estão prontos para receber o biometano.

Quando começar a ser produzido, o combustível sustentável passará por uma fase de testes com acompanhamento dos órgãos reguladores, como a ANP, para garantir o atendimento às especificações. A ANP informou que já "está trabalhando" na regulamentação especifica para biometano oriundo de aterros sanitários e estações de tratamento de esgoto.

"A utilização do gás gerado no tratamento de esgotos como combustível veicular resulta em ganhos econômicos e benefícios para a sociedade e o meio ambiente. Isso significa uma redução do consumo de combustíveis fósseis e da emissão de gases de efeito estufa", avalia Cristina Zuffo, superintendente de Pesquisa e Desenvolvimento da Sabesp.

Essa o Biff não poderá odiar. Carro movido a estrume? Toyota diz que sim com o sedã elétrico Mirai

A Usina de Itaipu, por sua vez, já conta com uma frota de 59 veículos movidos a biometano, de um total de 249 unidades da empresa. Até o fim do semestre, serão mais 14 que serão abastecidos com o biocombustível, substituindo modelos convencionais. Também há 55 veículos elétricos.

O biometano utilizado em Itaipu provém, literalmente, de titica de galinha. Em parceria com o CIbiogás, instituição tecnológica e científica sem fins lucrativos, ele é gerado na granja Haacke, localizada no município de Santa Helena (PR), próximo a Itaipu. Desde de 2013, são processados na granja cerca de 100 m³ por dia de efluentes líquidos, provenientes do excremento das aves, produzindo diariamente 1.000 m³ de biogás. Esse biogás depois é refinado para se transformar em biometano, destinado para abastecer os automóveis e também para gerar energia elétrica, utilizada na própria granja.

Europa para o Futuro

Enquanto a cadeia de produção, distribuição e comércio de biometano ainda engatinha no Brasil, ela já está consolidada na Europa. Cerca de 40% dos ônibus que hoje rodam na Suécia (onde fica a matriz da marca) já são abastecidos com biometano.

Vendo potencial no mercado brasileiro, a Scania trouxe em 2014 um ônibus da marca abastecido tanto com GNV quanto com biometano. De acordo com a Scania, a média de consumo do biometano é ligeiramente inferior à do diesel (2,02 km/m³ contra 2,2 km/l), mas tem custo aproximadamente 30% menor. Em relação ao preço por quilometragem, o custo do biometano é menor em 56% ante um veículo similar a diesel. 

Além do ônibus da Scania, recentemente a New Holland apresentou, em Itaipu, um trator movido a biometano, que também passa por testes e avaliação de produtores agrícolas potencialmente interessados em gerar biometano nas fazendas e, com ele, abastecer seus tratores e outros veículos.

De acordo com números fornecidos pela ABiogás (Associação Brasileira de Biogás e de Biometano), o potencial de crescimento desses combustíveis no mercado brasileiro é gigantesco. Segundo a entidade, o Brasil poderia produzir 52 bilhões de metros cúbicos de biogás a cada ano, volume suficiente para abastecer cerca de 25% da frota nacional de veículos - além de 12% de toda a demanda por energia elétrica no país.

"Chegamos ao ápice do sistema de combustíveis líquidos, especialmente diesel e gasolina. Vivemos em um mundo de recursos energéticos finitos, precisamos extrair petróleo e gás a quilômetros de profundidade no oceano, a um custo elevado. As novas saídas não terão um combustível quase hegemônico como hoje e, sim um conjunto de alternativas", avalia Cícero Bley Jr, presidente da associação.

Bley Jr espera que o RenovaBio, plano do Ministério de Minas e Energia para ampliar a participação de biocombustíveis na matriz energética do país até 2030, bem como atender as metas de emissões estabelecidas na COP21 (cúpula do clima de Paris), contemple também incentivos e uma política definida para o biogás. "Está mais que na hora de haver uma política de governo definida para o biogás e o biometano. O Brasil já dispõe de tecnologia para isso".

Consultado, o Ministério de Minas e Energia informou que entre os biocombustíveis que serão atendidos no programa, estão o etanol de segunda geração, o biodiesel de óleo vegetal hidrotratado, o bioquerosene, o diesel de cana, o biogás/biometano e o bioquerosene.

Agora é acompanhar a trama política e torcer para o biometano não fica só como peça de ficção científica, especialmente aqui no Brasil.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Veja em 1ª mão as primeiras páginas das HQs de De volta para o Futuro no Brasil

Dentre as diversas atrações que aconteceram no nosso 1º Encontro FNAC Paulista De Volta para o Futuro, e conforme já havíamos anunciado, a Editora Novo Século esteve nesse incrível evento revelando com exclusividade maiores detalhes dos encadernados Back to the Future que chegarão em breve no Brasil, pelo selo Geektopia, contendo as histórias traduzidas para português das Hqs que estão fazendo o maior sucesso nos EUA pela editora IDW desde outubro de 2015!


No meio do evento, a Fernanda da Novo Século, revelou ao vivo a todos os presentes, as 7 primeiras páginas impressas traduzidas das HQs! Sendo que nenhum outro veículo de informação tinha acesso a tal conteúdo!





Todo esse mistério foi apresentado dentro de um envelope cuidadosamente lacrado e sigiloso!


O público foi ao delírio. Juntas, as 7 folhas formam uma historinha única do velho Biff de 2015, quando ele rouba a máquina do tempo do Marty e Doc e leva o almanaque de esportes para o passado. Sendo assim, nós saberemos como um velho caduco operou o Delorean e onde (inadvertidamente) ele foi parar...

Somente agora podemos exibir essas páginas para vocês no nosso site, por isso, segue abaixo os impressos (protegidos por marca d'água) desse lançamento, que só o Blog BTTF teve acesso até o momento!









E é com imensa satisfação que informamos, que nós do Blog Back to the Future fomos convidados para escrever o prefácio da edição brasileira! Como sabemos que você já está super ansioso, veja aqui as primeiras 15 páginas que a Editora acabou de liberar, onde é possível inclusive ler nosso texto! :)

A nossa edição virá com o subtítulo “Aventuras nunca vistas e linhas do tempo alternativas“, contendo cinco histórias completas em um único volume encadernado. Nos EUA essa série continua sendo publicada até hoje, tendo mais de 20 revistas lançadas, e foi considerada fenomenal em sites como IGN e Capeless Crusader.

Segundo sugestões do site Amazon, o livro tem 144 páginas encadernadas em um formato 17cm x 26cm, com preço sugerido de R$39,90 e lançamento inicial previsto para 20/10/2017. Clique aqui para acessar a pré-venda com 12% de desconto.

Todavia, a data de lançamento e o preço oficial de banca serão melhores confirmados em breve, com exclusividade em nosso Blog, por isso fique sempre ligado aqui!!

Nos vemos no futuro! 

HQs revelarão para onde foi Doc Brown após o fim do 3º filme


A série Back to The Future é uma das mais adoradas de Hollywood sobre viagens de tempo - todavia uma pergunta desconcertou alguns fãs desde que a trilogia alcançou seu clímax em 1990.

No final do terceiro filme da série, Marty McFly (interpretado por Michael J Fox ) e Doc Brown (interpretado por Christopher Lloyd) se reencontram em 1985, após uma viagem a 1885, e travam uma conversa curiosa.


Após uma troca de presentes, o Doc se prepara para decolar em seu trem a vapor com sua esposa Clara e dois filhos Júlio e Verne, quando Marty pergunta: "Para onde você vai agora, Doutor? De volta para o Futuro?"


O Doc então responde: "Não. Eu já estive lá!"

Em seguida desaparecem para um espaço e tempo desconhecidos com o seu trem modificado.

Esse dialogo deixou alguns fãs coçando a cabeça por anos, se perguntando: onde, quando e porquê o Doc Brown estava no futuro com sua família?

O roteirista da série de filmes, Bob Gale, explicou que a frase era basicamente uma brincadeira e que igualmente o final do primeiro filme (que terminou com um aparente cliffhanger mas que na época não foi planejado uma sequência) também nunca teve a intenção de ser sério.

"É apenas uma piada", disse Bob ao The Hollywood Reporter quando questionado.

"No final do primeiro filme, todos disseram: 'Oh, meu Deus. Certamente você sabia que iria fazer uma continuação colocando esse final?'", ele continuou - referenciando o fim do primeiro BTTF.

"Não! Nós não tínhamos ideia de que haveria a parte 2 e 3! O script original havia sido rejeitado umas 40 vezes, então não tínhamos sequer a ideia se alguém iria aparecer no cinema quando ele estreou", continuou Bob. 

"Nós apenas pensamos, bem, este é um final muito gratificante. Todos os heróis estão no pôr-do-sol proverbial e estão prontos para outra aventura", disse ele.


Recentemente a IDW anunciou uma nova HQ baseada em De Volta Para o Futuro. Intitulado "Back to the Future: Tales from the Time Train", a obra constrói sua premissa a partir de uma pergunta: o que aconteceu com o cientista após o fim do terceiro filme? 

A publicação será focada em Doc Brown e Clara, mostrando as aventuras da família do cientista no trem que é capaz de viajar no tempo revelado no final do terceiro filme. 

A história mostrará qual período a família explorará em sua viagem inaugural e o que pode (e deve) dar errado quando eles chegarem lá. Além disso, as obras devem explicar como Doc conseguiu transformar o seu trem em uma verdadeira máquina no tempo, visto que ele se encontrava no fim do século 19 e sem muitos recursos.


A obra foi escrita por John Barber e Bob Gale. O desenho da capa e do quadrinho fica por conta de Megan Levens. O lançamento em inglês está previsto para dezembro de 2017.

No Brasil, em breve teremos novidades sobre o lançamento das HQs traduzidas pela Editora Novo Século, com o selo Geektopia. Fique ligado aqui.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Alec Baldwin será John Z. DeLorean em novo documentário

Segundo o site Deadline, o ator Alec Baldwin encarnará o famoso John Zachary DeLorean, o criador do DeLorean DMC-12, em um documentário que será produzido pela XYZ Films.


Para dar a aparência do homem que trouxe vida ao icônico carro original de De Volta para o Futuro, Baldwin recrutou a ajuda da sua equipe de maquiagem de Saturday Night Live.

O filme documentará a ascensão ao estrelato de John Z. DeLorean, bem como sua queda chocante. Além das cenas narrativas, o documento será mesclado com cenas de Baldwin e entrevistas com colegas, funcionários, advogados, amigos e familiares que o conheceram pessoalmente John DeLorean.

O filme será dirigido por Don Argott e Sheena M. Joyce, de Roubar é uma Arte (The Art of the Steal, 2013), produzido por Tamir Ardon, XYZ Films e 9.14 Pictures e apoiado por Ingenious. Sundance Selects distribui o filme no país.

"Sheena Joyce e Don Argott são dois dos cineastas mais inteligentes e criativos que encontrei nos últimos anos. O seu documentário, The Art of the Steal, está entre os meus favoritos de todos os tempos e aguardo com expectativa a colaboração com eles em sua tomada inventiva sobre a vida de John DeLorean", disse Baldwin.


"Estamos muito honrados em ter a oportunidade de explorar o complexo personagem de John Z. DeLorean com o lendário Alec Baldwin. Como fãs de longa data, não podemos esperar para ver DeLorean através da lente do imenso talento e inteligência afiada de Alec. Estamos confiantes de que esta colaboração levará a um filme emocionante sobre um misterioso e incomum ícone automotivo", disse Argott e Joyce.

A produção está em andamento com uma data de lançamento agendada para 2018.

Humorístico Zorra faz esquete com De Volta para o Futuro

Não é novidade que o programa humorístico do Zorra da TV Globo tem apresentado cada dia quadros melhores. No último sábado 16/09/2017 podemos comprovar isso, com a paródia brasileira de De Volta para o Futuro (ou De Volta para o Passado)!

No quadro, o personagem chega ao Brasil e não acredita que as notícias exibidas são de 2017!


O Marty McFly, personagem eternizado por Michael J. Fox na trilogia De Volta Para o Futuro (1985-1990), ganhou uma versão "canarinho" pelo ator George Sauma e desembarca no Brasil em 2017 e espanta-se com a situação do país.

– Finalmente vou conhecer o Brasil, o país do futuro – diz o personagem, ao desembarcar do carro, ser picado por um mosquito e ser alertado por um morador de rua que poderia se tratar de febre amarela.

– Mas eu pensei que o Brasil tivesse acabado com a febre amarela no início do século passado.

Sem acreditar que estava no ano indicado (2017) pelo painel da máquina do tempo, para diante de uma loja de televisores e começa a acompanhar as notícias. Ele assiste na TV ataque a tribos indígenas e protesto nas ruas. Qualquer semelhança com a nossa realidade é mera coincidência. Em uma das chamadas, o jornal alertava:

– Exposição de arte é censurada e causa protesto (referencia ao caso Queermuseu).

Na sequência, McFly é interrompido por um conflito entre protestantes e uma tropa policial.

– Ferrou, eu voltei para a ditadura, melhor sair fora daqui – exclamou antes de fugir e encontrar o icônico cientista Dr. Brown (no quadro, vivido por Fernando Caruso) vendendo ferro velho. Caruso está perfeito imitando os gestos e os olhos esbugalhados do nosso eterno Doc!!

– Mudaram a lei do Brasil, acabou a previdência, agora eu tenho que trabalhar como um escravo até bater as botas. Toca para antes do descobrimento. Aqui só tinha índio, o Brasil nessa época era civilizado (trágico, mas sincero).

Depois disso eles partem no DeLorean e vão embora (mas erram na quilometragem dizendo 95 milhas/hora ao invés de 88 milhas/hora). Tudo bem, um pequeno deslize da produção.


Note que o destaque do quadro foi a réplica idêntica do DeLorean Time Machine original, que desapareceu no final deixando a icônica marca de fogo dos pneus em uma sequencia muita bem feita!


Descobrimos que essa réplica é de algum proprietário de São Paulo pela consulta da placa.

A dúvida que sempre perdura é: quantas réplicas do DeLorean modificado igual o filme já existem no Brasil?

Fonte: GloboPlay

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...