quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Plymouth enterrado deverá ir a leilão

Lembram-se do Plymouth da cidade de Tulsa? O BTTFPt já contou sua história, veja aqui.

Em perfeito estado, ainda novo, o modelo norte-americano alguns instantes antes de ser enterrado, em 1957

O Plymouth Belvedere ficaria com aquele que tivesse adivinhado a população exata do município de Oklahoma no ano de 2007. O vencedor, Raymond Humbertson, morreu em 1979. A herança, coberta de ferrugem, ficou para as duas irmãs do ganhador. Sem muitas opções, elas aceitaram a proposta de Dwight Foster, dono da Ultra One Corporation, fabricante de antioxidantes. Ele se disponibilizou a restaurar o modelo sem mexer na estrutura. Durante dois anos, Foster aplicou, pacientemente, seus produtos na carroceria do carro.



Grande parte da ferrugem desapareceu, as rodas viram e a direção funciona (ele trocou a suspensão, a direção e o eixo traseiro). Mas o bloco do motor não teve recuperação e a lataria tem alguns furos, pelos quais é possível passar a mão. A carroceria está tão fina que Foster não tem coragem de abrir as portas com medo da estrutura ser irremediavelmente comprometida. Diante de tantos problemas, o melhor destino para o Plymouth Belvedere será um museu. A cidade de Tusla está interessada, mas ela não tem lugar para a exposição. Foster espera que a oportunidade de exibir essa “cápsula do tempo” seja bastante disputada e que leilões sejam organizados.

Essa é a grande vantagem do aço inoxidável : Não enferruja! (é claro, além de dispersar o fluxo...)


 Fonte: AutoEsporte

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...