quarta-feira, 4 de maio de 2016

Ciência X Ficção: 20 Instrumentos Cirúrgicos do Passado

Quem se queixa da broca do dentista ou do som agoniante que o aparelhinho faz, prepare-se para este post. Depois de ver as maravilhosas ferramentas que os rapazes e moças de jaleco médico utilizavam algum tempo atrás, você jamais temerá a insignificante broquinha. Imaginar como estes aparelhos eram utilizados, normalmente sem anestesia, e o sofrimento pelo qual passavam os tristes pacientes é chocante. As imagens não são fortes, mas imaginar como elas eram utilizadas é o problema!

Agora lembre-se: caso um dia você volte no tempo no passado, para alguma missão que salvará o mundo, torça para não precisar dos cuidados de um médico local.

1) Faca de Amputação (1800): Durante o século 18 eram tipicamente curvas, porque os cirurgiões tendiam a fazer um corte circular através da pele e músculos. Antes os ossos eram cortados com um serrote. Depois de 1800, facas retas se tornaram mais populares porque tornaram mais fácil deixar um retalho de pele que podiam ser utilizados para fechar o buraco.


2) Serra de Amputação (1600): A maioria dos cirurgiões se preocupava em decorar suas serras, mas não pensavam que os sulcos eram um lugar ideal para os germes construírem suas casinhas.


3) Tesoura Removedora (1500): Enquanto as tesouras abriam o caminho, o eixo central era inserido na ferida para captar o objetivo da operação.


4) Sanguessuga Artificial (1800): Sangria com sanguessugas era tão populares em tratamentos para uma série de condições médicas. Daí­ que a sanguessuga artificial foi inventada em 1840 e foi utilizada com frequência em cirurgias de olho e orelha. As lâminas rotativas cortavam uma ferida na pele do paciente, enquanto que o cilindro seria utilizado para produzir um vácuo que sugava o sangue.


5) Extrator de Balas (1500): Este instrumento poderia atingir balas profundamente alojadas no corpo do coitado do paciente. Extratores como este tinha um parafuso que podia ser inserido na ferida e alongado para perfurar a bala e assim pudesse ser puxada para fora.


6) Dilatador Cervical (1800): Era assim que dilatavam a bacia de uma mulher na hora do parto. Tudo medido na escala.


7) Faca de Circuncisão (1770): Realizada até hoje, a prática da circuncisão era feita com esse brinquedinho aí­ abaixo.


8) Ecraseur (1870): Esta coisinha linda era usada para cortar hemorroidas e tumores do ovário ou do útero.


9) Fórceps para Hemorroidas: Esses fórceps eram utilizados para captar uma hemorroida entre as lâminas e aplicar pressão para interromper o sangramento, provocando a dormência da dita cuja.


10) Hérnia Tool (1850): Esta ferramenta era utilizada após o restabelecimento de uma hérnia. Era inserido no corpo perto da área afetada e deixada lá por uma semana para produzir tecido cicatricial que poderia ajudar a fechar a hérnia.


11) Hirtz (1915): A bússola era usada para determinar com precisão onde estavam localizadas balas no corpo, para que pudessem depois serem removidas com precisão. Não pergunte como.


12) Hysterotome (1860): Utilizado para amputar o colo do útero durante uma histerectomia. Great Scott!


13) Lithotome (1740): Este lithotome era usado para cortar a bexiga a fim de remover pedras. O eixo continha uma lâmina escondida (estilo Pegadinha do Mallandro, Rá!) que era inserida na bexiga e, em seguida, liberada utilizando uma mola. 


14) Boca Mordaça (1880): Conhece um parafuso? Conhece uma boca? Esta madeira, em forma de parafuso era inserido na boca do paciente anestesiado para manter as vias aéreas abertas. Prático para utilizar em crianças que não param de falar também...


15) Escarificador (1910): Escarificadores eram utilizados em derramamento de sangue. As lâminas de mola neste dispositivo cortavam a pele, e um copo de vidro arredondado poderia ser aplicado sobre a ferida. Quando aquecido, ele iria ajudar a tirar o sangue para fora em um ritmo mais rápido.


16) Skull Saw (1830): Esta serra da lâminas era utilizada para cortar seções através do crânio, permitindo o acesso de outros instrumentos.


17) Tobacco Smoke Enema (1750): O tabaco enema era utilizado para infundir o fumo do tabaco em um paciente pelo reto para diversos fins medicinais, principalmente a reanimação das vítimas de afogamento. Um tubo retal inserido no ânus estava ligado a um fole que forçava a fumaça para o reto. O calor do fumo foi pensado para promover a respiração, mas muitos duvidam da eficácia.


18) Tonsila Guilhotina (1860): Este método de remoção da amígdala trabalhou muito tradicionalmente como uma guilhotina, cortando fora as amí­gdalas infectadas. Esta dupla guilhotina possibilitaria que ambas as amí­gdalas poderiam ser removidas ao mesmo tempo. Esses instrumentos foram substituídos por pinças e bisturis no início do século 20, devido a alta taxa de hemorragia e do caráter impreciso do dispositivo, que muitas vezes deixava remanescentes de amí­gdalas na boca.


19) Trefina (1800): Este instrumento era uma broca cilí­ndrica com uma serrinha que era utilizada para furar o crânio. A broca do centro era utilizado para iniciar o processo e manter alinhada enquanto a lâmina de corte agia.


20) Espéculo Vaginal (1600): O espéculo foi utilizado por milhares de anos para permitir aos médicos uma melhor visão e acesso à área vaginal (ou outras cavidades corporais), alargando depois da inserção.


E aí ficou com vontade de voltar no tempo e experimentar o atendimento dos hospitais da época? 

O que você faria se voltasse no tempo e ficasse preso numa dessas eras? Nunca mais iria em um médico?

Fonte: Autor desconhecido

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...