segunda-feira, 30 de abril de 2018

Tempo: nosso bem mais precioso da vida!

Texto escrito por Anderson Drumonix e André Luiz

TEMPO: uma coisa de extrema importância que a trilogia BACK TO THE FUTURE (De Volta para o Futuro / BR, Regresso ao Futuro / PT) nos mostrou com maestria.

Os heróis Marty McFly e Doc Brown, mesmo possuindo uma máquina do tempo, vivem correndo atrás do precioso tempo para resolver seus conflitos. É como se o tempo escorregasse pelas laterais e eles estão desesperadamente sempre tentando segura-lo ao máximo. Em cada momento do filme, em qualquer uma das partes desta fantástica trilogia - que tanto amamos - os idealizadores, Bob Z e Bob G, conseguem nos deixar ansiosos para saber o que vai acontecer em seguida. É como se esta noção de tempo, tão importante nos filmes, fosse literalmente a força motriz para o cerne da história.

Imagina agora, neste exato momento do tempo, o Doc Brown apontando o dedo e falando "EU POSSO VER VOCÊ!". Veja que agora parece que o Marty McFly está realmente olhando para você. Sim, isto foi a quebra da quarta parede!

A difícil habilidade de lidar com o tempo que temos e a cada aventura, percebemos que o tempo é sempre limitado para se resolver coisas, e dificilmente pensamos num tempo em família, ou melhor, num tempo para nós mesmos.

Bom, agora não estou mais falando deles, do Marty e do Doutor…
Agora estou falando de nós mesmo; eu, você, a pessoa ali atrás...

Este texto é sobre como lidamos com o tempo em nossas vidas?

"Todo velho já foi jovem."

Você já ouviu falar do ócio, certo? Uma palavra que é muito ligada à algo ruim, principalmente quando “não temos nada pra fazer”. Mas aí que está a arte de apreciar o tempo, pois o ócio é importantíssimo para conseguirmos escutar a nós mesmos e dar uma folga para o cérebro e viver simplesmente o aqui e agora.


Só existe o agora acontecendo!

"Não existe passado. Não existe futuro. Não percebe? O tempo é simultâneo!" - Doutor Manhattan na série de quadrinhos Watchmen, da DC Comics.

Segundo a física, especificamente citando a Teoria Geral da Relatividade (escrita por Albert Einstein), o espaço-tempo é uma coisa só, então, não existe passado-presente-futuro (calma, vamos explicar). É como se fosse o mesmo lado de uma moeda, assim como o magnetismo e a eletricidade que se tornaram o “eletromagnetismo”.

Graças a esta descoberta (de que o magnetismo e a eletricidade são "a mesma coisa") podemos identificar os vários espectros da mesma moeda. Veja que só podemos enxergar a olho nu apenas uma pequena fatia das ondas eletromagnéticas. Imagina então quando falamos sobre o conceito de espaço-tempo, só vemos uma fatia por vez do tempo como um todo, por isso é tudo agora!

Tudo está acontecendo agora, tudo já aconteceu e tudo ainda vai acontecer. É muito doido parar pra pensar desta forma mas vamos tentar ilustrar. Nós vivemos num mundo em 3 (três) dimensões e acho que você já sabe disso: temos os conceitos de direita, esquerda, cima e baixo.



Agora, pensa no tempo como se preenchesse tudo em sua volta; esta é a (quarta) 4ª dimensão - que parece seguir sempre uma linha reta para frente, nunca para trás, é impossível voltar atrás e ir de volta para o futuro? depois que algo aconteceu.

Imagina-se desenhando numa folha de papel e o tempo seria como as pontas indo de encontro para cima, preenchendo todo o desenho, ou então, como se o ar que respiramos (invisível a olho nu) fosse o tempo que nos rodeia.

Um conceito do tempo: ele avança sempre para frente, nunca para trás, é como uma flecha. Assim como o big-bang, a origem do universo, o ponto de partida, ele obedece a lei da entropia e nunca se desfaz, nunca volta.


O tempo é como uma flecha!


Se imagine então fora da quarta 4ª dimensão, a gente entraria numa quinta 5ª dimensão! Calma, calma;  não vai se perder por aí, é mais fácil do que você pensa...

Nesta imagem acima o ponto branco seria o nosso espaço onde vivemos, na terceira dimensão, e os pontos azuis ao redor (que está preenchendo todo o lugar) é o tempo - ou seja - a quarta dimensão. Já o espaço preto ao redor de tudo isso seria onde você está observando a quarta e a terceira dimensão, ou seja, você estaria na quinta dimensão.

Acompanha o raciocínio: quero dizer que numa quinta 5ª dimensão poderíamos ver o espaço-tempo como um todo e até a nossa realidade da terceira 3ª dimensão acontecendo. Pensa agora como se a quarta 4ª dimensão do espaço-tempo fosse algo sólido (igual um grande salame, ou um queijo, ou um bolo, o que você quiser) e a gente conseguisse cortar uma fatia bem fina deste “espaço-tempo sólido”. Então essa fina fatia é o que a gente está vivendo agora - e que logo já é descartada, é jogado para trás (60 segundos de 1 minuto). Aí pegamos uma nova fatia e jogamos fora a antiga… Pegamos outra fatia e jogamos fora a antiga, e assim por diante... Um infinito ciclo.

Pense na quarta 4ª dimensão do espaço-tempo como algo sólido.
Então cada segundo que se passa é uma fatia que foi cortada e descartada.

Muitas vezes pensamos só no amanhã e esquecemos de viver o hoje. Apesar de que não estou falando aqui sobre você deixar de fazer um planejamento, traçar metas e objetivos de vida, mas estamos falando aqui de “como você vem cuidando do seu tempo?”



Existe uma palavrinha que parece um palavrão chamada procrastinação. Isso quer dizer nada mais nada menos que é deixar para amanhã o que você pode fazer hoje. Não caia nestas armadilhas da mente e tente evitar isso o máximo que puder. As vezes você está fazendo isso inconscientemente! Por exemplo: quando você coloca o relógio do despertador para tocar por mais 5 minutos você acaba afirmando para si mesmo que não consegue acordar no horário. Então preste mais atenção em você e evite deixar para depois o que consegue fazer hoje. Claro que; não é para entrar em conflito sobre o que falei anteriormente, com relação a traçar metas, objetivos e ter um planejamento para sua vida.

Por isso que organização é uma das melhores ferramentas para arrumar tempo!

Sim, neste momento que está lendo este texto aqui você precisou escolher em querer prestar atenção e dedicar um tempo para você mesmo. Não adianta querer ler este texto com pressa ou ficar lendo apenas superficialmente...

Por um acaso se lembrou de dar um abraço e um beijo na pessoa que mais gosta hoje? Ou simplesmente não o fez por “não ter tido tempo para isso?” Ok, pode ser em você mesmo, afinal de contas, para se gostar de alguém precisamos é nos amar primeiro.

Então pare agora o que está fazendo e vai lá dar um abraço em alguém importante. Você tem todo o tempo do mundo tem uma máquina do tempo, pode voltar antes e...  É hora de Howdy Doody! É hora de morfar abraçar!

Como diz o mago Gandalf (de O Hobbit e O Senhor dos Anéis) em um momento de desespero do Frodo sobre o amanhã (futuro): “Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado”.

Mago Gandalf conversando com o Frodo Bolseiro a respeito do tempo.

Como a própria bíblia nos diz em Eclesiastes 3Há tempo para tudo; tempo para nascer, tempo de morrer, tempo de chorar e tempo de rir, tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz”.

Assim como uma passagem de ônibus, ou uma passagem de avião, a passagem do tempo é cara!
Seria a gente que leva o tempo nas costas ou é o tempo que nos carrega pelo espaço?!

Como até mesmo dizem as músicas “o tempo passa em meio a momentos que fazem um dia monótono; você perde tempo gastando as horas de um jeito bem descuidado; e quando se dá conta, 10 anos ficaram para trás” ou então “todos os dias quando acordo não tenho mais o tempo que passou, mas tenho muito tempo… temos todo o tempo do mundo, temos o nosso próprio tempo e nem foi tempo perdido”; ainda em outros versos “o tempo está mudando tão rápido... eu fico imaginando quanto tempo ainda resta? o relógio está andando, o tempo está acabando”; na afirmação “tudo, tudo, tudo aqui mesmo e aqui e agora”; e também “o tempo está passando” além de que “o tempo não pára” - isso só para citar alguns trechos de músicas, neste caso, das bandas Pink Floyd, Legião Urbana, O TerçoHelloween, Stratovarius Cazuza!

Pink Floyd já dizia em sua música "quando nos damos conta, dez (10) anos já ficaram para atrás"...

Também podemos citar grandes filósofos (outros nem tanto) que falam (ou falaram) sobre o tempo:

“A vida passa muito rápido e se você não parar de vez em quando para viver a vida, acaba perdendo seu tempo...” - Ferris Bueller (do filme Curtindo A Vida Adoidado).


“O tempo é algo que não pode ser reposto. Nenhum homem pode banhar-se duas vezes no mesmo rio… pois na segunda vez o rio já não é o mesmo, nem tão pouco o homem!” - Heráclito de Éfeso.


“Desperdicei meu tempo, agora o tempo desperdiça a mim.” -  William Shakespeare.


“Podemos vender nosso tempo, mas nāo podemos comprá-lo de volta.” - Fernando Pessoa.


“Existem coisas no nosso passado que não devem ser esquecidas ou negadas, querendo ou não, vão sempre fazer parte da nossa história.” - Kevin Arnold (da série Anos Incríveis).

“Não viva no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no momento presente.” - Siddhartha Gautama (Buddha).

“O que é, portanto, o tempo? Se ninguém me pergunta, seu sei; se quero explicá-lo a quem me pergunta, não sei.” - Santo Agostinho.

“A diferença entre passado, presente e futuro é apenas uma persistente ilusão… A falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de planejamento.” - Albert Einstein.

“Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço é uma alegria para mim compartilhar uma época e um planeta com você.” - Carl Sagan.










O tempo é uma moeda de troca que não tem volta.



Toda vez que você troca o seu tempo, por dinheiro, por trabalho, por assistir um vídeo no YouTube, por ler um texto longo num blog, por exemplo... O que está fazendo é negociando, assinando, um pacto sem volta.

“Nós percebemos o tempo só nas mudanças, vivemos na transição entre um momento e outro. Não podemos sair do tempo, mas o tempo só escraviza aquele que vive sem sonhar, sem ter esperança.” diz o filósofo italiano Mauro Maldonato. Toda vez que você escolher entre ficar sentado no sofá, moscando, você deixa de ter tempo para outra coisa, como sair, conhecer pessoas, estudar, etc… Por isso muitos cientistas famosos, são conhecidos por saberem lidar bem com o tempo.

Leonardo Da Vinci sabia lidar com o tempo muito bem! Ele dormia apenas 90 minutos por dia, divido em cochilos de 15 minutos a cada 4 horas. Porém é importante lembrar que cada um tem um ciclo de sono diferente do outro. Cada indivíduo é diferente e isto torna a humanidade rica e interessante!

O gênio Leonardo Da Vinci, que dormia irrisórios noventa (90) minutos por dia, divididos em sonecas de quinze (15) minutos a cada quatro (4) horas... é um ótimo exemplo.

Às vezes, melhor do que ter uma máquina do tempo para poder voltar ou avançar histórias, seria poder conseguir congelar o tempo e ter o mundo a sua disposição.

Este episódio do Chapolin Colorado é épico! Ele utilizava uma corneta paralisadora e conseguia, de certo modo, manipular o espaço-tempo fazendo um objeto ou pessoa ficarem congelados (até que apertassem a buzina novamente para voltar tudo ao normal).

Você se lembra deste episódio do Chapolin Colorado em que ele usava uma Corneta Paralisadora?! Era uma espécie de buzina que quando apertada uma vez a pessoa (ou objeto) se congelava e com duas buzinadas a pessoa (ou objeto) voltava ao normal.

Na série de TV chamado "A Extraterrestre" (1987) a personagem manipulava o tempo apenas com o tocar dos dedos. Assim que ela batia palmas o tempo corria normalmente.

Ou então como a personagem da antiga série de TV chamada A Extraterrestre (Out of This World) de 1987, que também passava no SBT. A personagem tinha a habilidade de parar o tempo apenas com o unir dos dedos indicadores e para que tudo voltasse ao normal bastava uma batida de palmas e aí ninguém percebia o que tinha acontecido.

Hiro Nakamura conseguia manipular o tempo e espaço apenas com a sua força do pensamento.

Tem também o personagem da série de TV chamada Heroes (2006), o Hiro Nakamura, manipulava o tempo e espaço: conseguia dobrar o espaço-tempo apenas com o pensamento, permitindo-se voltar, avançar ou parar o tempo, e mover-se instantaneamente para o lugar que desejar.

Poderia citar outro personagem e este é muito rápido (mesmo)! Ele consegue acessar a chamada Força-da-Aceleração lhe permitindo voltar ou avançar no tempo (através de uma esteira cósmica). Sim, estou falando do homem mais rápido do mundoThe Flash!

Outra característica do personagem The Flash (além dele conseguir viajar no tempo através da sua capacidade de acelerar muito) é também conseguir vibrar suas células em nível quântico e acessar universos paralelos, o chamado multiverso. Segundo o físico teórico Michio Kaku isso poderia ser possível, sim, pois a Teoria das Cordas (ou Supercordas) prediz isso.

Quem sabe poderíamos ser super-homens ao ponto de conseguir voar na direção contrária do planeta Terra e fazê-lo rotacionar ao contrário para assim “forçar” o tempo a voltar pra trás?!

Cena do filme clássico do Superman de 1978 voltando no tempo para salvar a Lois Lane que havia... bom, não é SPOILER o que vou escrever aqui, mas o Superman (Super-Homem para os mais velhos) volta no tempo após ver a Lois Lane morrer soterrada após um terremoto. Quem não iria fazer qualquer coisa que pudesse para trazer de volta a vida um ente querido?

Quando a gente assiste uma gravação em vídeo (ou até mesmo um áudio gravado) - o que seja - a gente tenta trazer de novo aqueles momentos que já passaram à nossa lembrança, tentamos voltar naquele tempo mesmo que por um instante. A mesma coisa acontece com as fotos que tiramos.


Doutor Brown e Marty McFly na Biblioteca Pública de Hill Valley vendo várias fotos do passado.

É uma janela para o passado.


Nossa mente é poderosa o suficiente para muitas coisas, pode apostar!
Se concentre nesta imagem e tente se lembrar de quando estava sentado na carteira
da escola prestando atenção na aula (sim, eu sei que consegue se lembrar disso).

Podemos voltar no tempo simplesmente por olhar uma foto sua, de quando você era pequeno, e sua memória consegue trazer aquela lembrança à tona e a cena começa a passar dentro da sua cabeça como se fosse um filminho.

Somos capazes de relembrar até mesmo o cheiro e o gosto das coisas: o aroma das flores do nosso antigo jardim, o cheiro da madeira do nosso primeiro estojo de lápis de cor lá na carteira da pré-escola, ou o gosto da comida que sua avó preparava.

E quando olhamos para as estrelas? Sabia que aquele estrela que vemos já não existe mais?! Ela já se foi há muito tempo sobrando apenas o seu brilho. A luz daquela estrela viajou muitos (mas eu digo muitos de milhares) de anos-luz até chegar aqui na Terra. Assim como a luz do Sol percorreu 8 minutos até chegar aqui, ou seja, o que vemos e sentimos é algo que ficou no passado (literalmente)!

Olhar para as estrelas é como olhar para o passado, é uma máquina do tempo instantânea, uma janela para o passado. A luz das estrelas demoram cerca de milhões (ou até mesmo bilhões) de anos-luz para chegar até nossos olhos, na Terra. A segunda estrela mais próxima da gente, depois do Sol, é o sistema de Alpha Centauri, com 4,37 anos-luz (1,34 parsecs) de distância. Sim! Isso mesmo! Isto quer dizer, exatamente, que a luz desta estrela demora em média 4 anos para chegar até nós. Já Andrômeda, a galáxia espiral mais próxima da Via Láctea, está a cerca de 2,5 milhões de anos-luz daqui. Já pensou converter tudo isso em quilômetros?

A nossa percepção do tempo seria algo físico ou apenas teórico?


Quando o tempo passa… Quando o tempo passa? Quanto tempo se passou?

Huuummm... Perceba então que talvez seja um pouco dos dois pois a gente consegue ver a passagem do tempo através da natureza, quando percebemos que estamos mudando de uma estação do ano para outra. Quando percebemos aquele fio de cabelo branco nascendo e o corpo não respondendo mais como antigamente. Quando percebemos a muda de planta se transformando em árvore e depois a sua folha caindo. Quando percebemos que nosso bebê se transformou em uma criança linda...

Timelapse da vida de um homem... A vida do personagem Walter White, do seriado Breaking Bad. No decorrer da série vemos um período de 5 anos da vida deste personagem. Vemos como ele começou e como ele terminou... Muita coisa aconteceu! Caso você não conheça esta história, faça um favor à você mesmo e corra atrás para assistir. Não é à toa que foi considerada a melhor série de TV de todos os tempos.

Tudo tem um começo-meio-fim ou como se diz no filme The Matrix (1999):
“tudo que tem um começo tem um fim”.


Será que não passamos de um holograma? Será que estamos vivendo numa matrix? Será que tudo não passa de um simulacro, ou será tudo um sonho? Seria tudo ao redor uma espécie de realidade virtual?! Seria o mundo apenas uma sombra, como na alegoria do mito da caverna, uma metáfora criada pelo filósofo grego Platão, que consiste na tentativa de explicar a condição de ignorância em que vivem os seres humanos e o que seria necessário para atingir o verdadeiro “mundo real”, baseado na razão acima dos sentidos.

A única certeza da vida é a morte!








As imagens acima são cenas do filme O Feitiço No Tempo (Groundhog Day, 1993) onde o personagem de Bill Murray (Phill) repete o mesmo dia num looping interminável. A única maneira dele abreviar seu dia é tentando... se matar. Entretanto ele percebe que esta não é a alternativa correta. Por ele ter consciência de tudo que vai acontecer, já sabe de tudo, consegue prever as coisas, ele se acha uma espécie de "deus". Já que é assim ele pode fazer mudar a vida de outras pessoas pra melhor; e quem sabe mudar até sua própria vida também.

Todos os seres vivos do planeta Terra (e quem sabe de outros mundos), fatalmente vão ter um fim… Os dinossauros tiveram um fim.

Será mesmo que os dinossauros tiveram um fim?


Todos nós humanos estamos fadados ao mesmo destino!

"Eu sou o seu detisno, quero dizer, seu destino" - George McFly

Nascemos sozinhos e morremos sozinhos. Na verdade, pensando sobre a Teoria do Big Bang, do início do universo e seu fatídico fim, até mesma as coisas materiais tem um fim, pois tudo que conhecemos e tocamos hoje, um dia deixará de existir: os carros, os prédios, as árvores, as montanhas, os rios, os planetas e as estrelas. Segundo a teoria, tudo um dia, mesmo que daqui bilhões de anos, irá desaparecer...

Como será o fim?

Por que não podemos viajar no tempo e/ou achar um jeito de nos preservarmos eternamente?

Por qual razão ainda não temos uma máquina do tempo que realmente funciona?!

Dentre as muitas teorias que já debatemos aqui no Blog BTTF (inclusive escrevi um artigo muito bom - ciência X ficção - explicando quais os problemas da viagem no tempo?, neste link), alguns físicos-teóricos dizem que viajar no tempo é impossível pelo simples motivo de que o tempo não existe, a contagem do tempo não passa de unidades de medida criadas pelo homem e relacionadas ao movimento de corpos celestes.

Este lindíssimo quadro surrealista, chamado de “Persistência da Memória”, pintado pelo mestre Salvador Dali (em 1934), me faz refletir na frase O tempo não existe pois amanhã a chama da vida pode ter se apagado! - Augusto Cury

Sobre esta obsessão de nos tornar seres eternos, viver para sempre, fonte da juventude, etc... Bom, é óbvio que isso viola todas as leis da física, praticamente todas as células, todos os átomos precisam desse ciclo de nascer e morrer. Não existe criação sem antes a destruição.

De acordo com a doutrina hindu, o deus Shiva pertence à uma trindade chamada de Trimûrti, formada por Brahma, o deus da criação; Vishnu, o deus da preservação; e Shiva, como o deus da "destruição e regeneração".

Imagine o problema de ocupação que poderíamos ter se todas as pessoas (e por consequente todas as coisas da natureza: animais, plantas, fungos) se fossem eternas e nunca morressem? Com certeza o mundo seria um caos!

O ciclo da vida! Nascer, crescer, reproduzir, morrer.

As transformações são contínuas e sempre avançam para frente! Voltar no tempo só seria possível desfazendo as transformações da matéria, retornando-as ao seu estado anterior, o que eles chamam de violar o estado de entropia da matéria/energia.

Ops, tá ficando meio complexo, não é?! Calma, vamos exemplificar:

Exemplo da Primeira Lei da Termodinâmica - copo de água se transformando em gelo (ao contrário).
A Primeira Lei da Termodinâmica, conhecida como a Lei da Conservação da Matéria, afirma que a matéria/energia (lembra do E=mc² ? E de energia, M de matéria... C de constante cosmológica, ou também podemos dizer que é a própria velocidade da luz) não podem ser criadas nem podem ser destruídas. A quantidade de matéria/energia permanece o mesmo. Claro, elas podem mudar, por exemplo do estado sólido para o líquido (exemplo da imagem acima do copo de água/copo de gelo), mas a quantidade total de matéria/energia no universo permanece constante.

Exemplo da Segunda Leia da Termodinâmica - xícara de chá se quebrando (ao contrário).
A Segunda Lei da Termodinâmica afirma que a quantidade de entropia de qualquer sistema isolado termodinamicamente (por exemplo o próprio universo em si) tende a incrementar-se (aumentar) com o tempo, até alcançar um valor máximo. A entropia é a perda da capacidade de algo realizar trabalho, e quando usamos o termo trabalho na física significa um movimento, uma força aplicada em um corpo. Ou seja, se você ver uma xícara de chá se quebrando ela nunca poderá voltar ao estado anterior de quando ela estava inteira (exemplo da imagem acima da xícara se partindo).

Seria impossível você ver esta cena da imagem acima acontecendo: um cachorro devolvendo a pizza no prato! Sim, isto seria impossível de qualquer forma, hahahaha
Recentemente o canal do YouTube Ciência Todo Dia explicou um pouco sobre esta questão da entropia em neste vídeo - que ele fala sobre a idade das coisas (e do passar do tempo/contagem do tempo) e consequentemente do nosso Universo.

Sendo assim, a única coisa que parece viajar no tempo é o nosso pensamento (ok, nem todos os pensamentos). É somente “possívelcom a mente que viajamos para o nosso passado e para o nosso futuro, antes que os elementos orgânicos oxidem nossos corpos e nos fazem regressar aos átomos. É exatamente como dizem “do pó vieste e ao pó retornarás” - trecho retirado e adaptado do nosso próprio artigo do Blog BTTF, confira no link.

Como até hoje a ciência não descobriu um meio de viajar no tempo (ou de congelá-lo), temos que aceitar tudo isso (acima), sem chorumelas.

Como já dizia na música (e também o personagem de Keanu Reeves em Bill & Ted):
Tudo o que somos é poeira ao vento, cara.

Um dos maiores exemplos da nossa finitude, pode ser visto na igreja Santa Maria della Concezione dei Cappuccini (ou Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Capuchinhos), uma Igreja de Roma, na Itália. Ela tem uma cripta repleta de mortos, cujos ossos e caveiras adornam as paredes. O ossário abriga os restos de mais de 4.000 frades sepultados no local entre os anos de 1500 e 1870, quando a Igreja Católica proibiu o enterro sob igrejas.

Não há porque temer: “o que você é hoje, eles já foram um dia; o que eles são, um dia você será”.

As paredes estão decoradas pelos restos mortais dos frades, o que faz da cripta uma macabra obra de arte. Lá dentro você encontra uma placa, com uma frase escrita em três línguas, um texto incrivelmente simples, mas que diante daquele cenário, se torna algo profundamente aterrador sobre o nosso fim “O que você é hoje, eles já foram um dia; o que eles são, um dia você será”.

No filme Gladiador (2000) existe uma cena em que o personagem, prestes a enfrentar um exército numa terrível batalha, fala este pensamento incrível: “o que fazemos na vida ecoa na eternidade”. Ou seja, deixe um legado aqui na Terra enquanto estiver vivo e você será sempre lembrado!

Então por que a gente consegue ter essa noção do tempo?



Por causa de, pelo menos, duas coisas: nossas mentes conscientes do mundo ao nosso redor - ou o que podemos chamar de inteligência - e por causa que fazemos marcações nos calendários, que foi a forma que tivemos de fracionar esta passagem do tempo de forma lógica (em dias / semanas / meses / ano / décadas / gerações / eras / etc).

Existiram muitos outros calendários em diversas civilizações e povos antigos, como o famoso Calendário dos Maias - que era baseado nas fases lunares (onde o dia 25 de Julho é considerado o “dia fora do tempo” por ser uma transição de tempo do velho para o novo “tempo” - muito engraçado pensar em como uma civilização pensava a respeito do tempo pois eles conseguiam pensar em um “tempo” fora do próprio tempo!) - até chegar nos dias de hoje com o nosso calendário gregoriano - que havia substituído o calendário juliano.

Aliás você sabia que 11 dias do nosso calendário sumiram?

"Como assim sumiram com onze (11) dias?"

O mistério por trás desse bizarro fato histórico é que descobriram que o calendário vigente na época (juliano) era defeituoso e resolveram substituir pelo atual (gregoriano), que é justamente 11 dias mais curto. Ok, mas este é assunto pra um outro dia, de um outro tempo...

Então, no caso a morte, como citei anteriormente, é o fim do tempo fim da eternidade, assim como o big-bang foi o começo de tudo e o início da passagem (ou melhor, da contagem) do tempo. Por isso que fazer a famosa pergunta “o que havia antes do big-bang” também não faz muito sentido - inclusive para os cientistas, incluindo Stephen Hawking - já que não há tempo, ou melhor, não há história a ser contata antes do big-bang!

Sugestão de vídeo: assista ao vídeo (de quase 3 minutos) chamado Time Piece, feito por Jim Henson e ganhador do OSCAR de melhor curta-metragem em 1966 (clique aqui e aqui).

Por isso o melhor mesmo é a gente conseguir fazer do nosso tempo o melhor para nós e para as pessoas ao nosso redor. “Qual o sentido da vida?” - você quem escolhe o que quer fazer dela.


O melhor da vida é viver!



Deixe um legado para as outras pessoas, faça algo de importante. Muitos dizem que as três metas mais importantes que todo ser humano deveria fazer são:

  1. plantar uma árvore
  2. ter um filho
  3. escrever um livro

Vamos encerrar este texto parafraseando as palavras finais do Doc Brown (cena de Back To The Future Part III, 1990):

“O seu futuro ainda não foi escrito, não existe, seu futuro é o que você quiser fazer,
portanto faça-o bem!” - Doutor Emmett L. Brown

E também encerrar parafraseando uma bela mensagem deixada pelo piloto brasileiro Ayrton Senna da Silva - pois ele foi um exemplo do que é deixar um legado pra trás:


“E a vocês todos que assistirem e estão assistindo agora , eu digo que; seja quem você for, seja qualquer posição que tenha na vida, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá... de alguma maneira você chega lá!” - Ayrton Senna

Ah, também não posso terminar este texto sem citar antes mais três (3) outros ótimos vídeos para inspirá-los sobre o tema:

  • o primeiro é o documentário brasileiro chamado “Quanto tempo o tempo tem?” (clique aqui para assistir)
  • o segundo é uma palestra TEDx de Daniel Becker - em português - e você precisa assistir até ao final pra entender (clique aqui para assistir)
  • o terceiro é o extraordinário vídeo do canal Vsauce chamado “O passado realmente aconteceu?” - o vídeo está em inglês mas com legendas em português (clique aqui para assistir)

Agora, para terminar com chave de ouro, é claro que não poderia deixar de citar estas frases clássicas:


Se por acaso não nos virmos; bom dia, boa tarde e boa noite” - O Show de Truman: O Show da Vida (1998)

“Nos vemos no futuro, ou no passado” - Doc Brown
FIM... ou apenas o começo!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...